sexta-feira, 10 de abril de 2009

Cha Cha Cha

porquê? porque é extremamente difícil, porque tem um ritmo dá azo a músicas com uma energia fabulosa, porque é um contínuo balanço, um vai-vem. Somos assim, um bocadinho, não é? :D

Vivo com um pé noutro mundo
Que, do peito de infindos, cresceu.
Sonho e salto e mergulho, tão fundo
E tanto que quase que esse mundo é todo meu.

Foi de ouro e chocolate, por vezes,
Olhei-o com lentes do céu e da terra.
Foi alto, foi baixo, amargo, por vezes,
E opôs o perfeito ao fel de quem erra.

Tenho vivido ao pé coxinho, nos últimos tempos, inclinado, reclinado na realidade indutiva.

A terra treme e eu meneio.
Estendo-me ao comprido sobre o lado esquecido,
E braços, pernas, cabeça, coração, cheio
De pó, o ar cega e já nem sei se estou perdido.

Assenta a confusão; abrem-me os olhos, docemente,
Avelãs, embaladas em cascatas espirais.
E sorrio, em reflexo do leve sorriso quente
Que me fala numa mística linguagem de sinais.

Sem querer, já não quero ir embora.
O pulso justifica, ausente o pensamento.
O que eu quero é nunca ir, nunca mais,
E ficar aqui contigo eternamente, mais um momento. *


Para ti :)

Até logo

P.S. peço desculpa pela potencial falta de qualidade, mas pronto, quase 3 da manhã, é preciso um pouco de compreensão, sim? x)

8 comentários:

Sandra disse...

welcome back!
ainda estou à espera dessas novidades :o * chato!

Élio - Filomena disse...

Apesar de ter sido quase as 3 da manhã está bom ;))

Abraço..

Trice disse...

adorei a ultima quadra :)
um beijo*

Andesman disse...

Meu amigo Miguel Miguel, potencial, sim! Falta de qualidade é coisa que em ti não existe.

Um abraço para ti deste pirata

Maria disse...

Quem será a sortuda a quem é dedicado um poema, não copiado, não citado, mas original?
Ai ai... a mim não me fazem dessas :(

Beijinhos

Trice disse...

Eu por vezes também acho que sou mais criança do que adulta, apesar de que com os anos as responsabilidades acrescem de uma maneira , ufff .
ah e já disse que adorei a última quadra? ah pois, já disse. Principalmente "o pulso justifica, ausente o pensamento" como se fosse espontâneo e já só agissemos sem pensar muito no que fazemos, porque quando se gosta, age-se. E porque não queremos ir, e tudo é justificado por um único beijo e momento com quem amamos. E se sem querer, já não quero ir, é porque me apaixono sem sequer saber, e quando me apercebo, já foi sem querer :)
adoro, adoro.
ah e quanto à foto estar um doce, obrigado. quando era criança era fotogénica :)

Marta disse...

O caminho é para a frente, sem qualquer espécie de 'vírgulas'

:)

beijo

Trice disse...

opá escreve que tou a espera xD
desculpe, não queria ser agressiva, mas já é a 2047448365 vez que passo aqui e ainda não há novos textos.
i think i'm addicted :s
sorry *
um beijo