segunda-feira, 31 de agosto de 2009

E perdoei-te. Já não interessa o que fizeste ou porque é que o fizeste. Cometem-se erros, partem-se pratos, compram-se outros. Mas a crueldade, essa dura muito mais. 'Não há mal que dure cem anos', diz o povo, mas muitos 'cem anos' hão-de passar antes que eu consiga esquecer a tua expressão de prazer sádico, a leviandade com que me olhaste nos olhos depois de me traíres.

A traição, perdoei-ta ainda antes de a cometeres. A crueldade, perdoei-ta hoje.
Não sinto que te perdoei, mas sei. Porque ainda consigo sentir pena de ti, porque sei que ainda te ajudarei se precisares. Porque apesar de teres voltado o jogo contra mim, de me roubares depois de me deitares ao chão, depois de continuares a acenar-me todos os dias, já sem saber, com tudo o que me tiraste, ainda consigo sentir orgulho em ti.

Só eu é que sei o que me doeu. Talvez tu também saibas, talvez imagines, se pensares com calma no assunto. E ainda não aprendeste tudo o que tinhas a aprender comigo, nem eu contigo. Eu consigo perdoar-te.
Mas como é que consegues viver contigo sem sequer pedir desculpa?

Até logo.

P.S. desculpem o desabafo, prometo que não torno a dizer coisas sem explicar.

4 comentários:

Sandra disse...

enfim... ao menos conseguiste perdoar, o que já é de valorizar!

beijinhos mikes *

Marta disse...

well... tu sabes o que eu penso disto tudo..
bacio

Maria disse...

Com algum esforço conseguimos atingir o perdão. Mas será que conseguimos esquecer?
Não sei de que traição falas mas acredito que em qualquer das formas não seja fácil encarar de frente e dizer, "ok, já passou, vamos em frente". Para mim, o perdão vem de mão divina a intervir por alguem.
De resto, gostei que estejas de volta! Bjs

Martina S' disse...

por mais estranho que pareça, eu desatei a chorar com o texto..

talvez não pediu desculpa porque disse a si mesmo/a que iria ficar tudo bem, e continua a acredita nisso.
eu também já fiz coisas assim e não pedi desculpa. apenas segui o meu caminho prometendo a mim mesma que iria ficar tudo bem..


E bem, Miguel este texto está bom. não só da forma como está escrito mas por aquilo que sentiste ao escrever.. transmite-se.
e eu só queria que a pessoa a quem eu tambem fiz isso, me perdoasse também.. ai caramba..


até logo, beijinhos