segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

abdica e serás rei de ti próprio

ricardo reis.

















contudo, eu dou a esta frase um sentido totalmente diferente. é abrir mão das coisas. é preciso deixar de sufocar. se tivermos um punhado de areia na mão e a fecharmos, essa areia cai, perde-se. se abrirmos a mão, ela permanece.


é preciso abrir mão da vida, a vida não é um bibelô que se coloca numa prateleira, protegida por uma redoma de vidro para se olhar para ela, à espera que ela caia ao chão e acabe.


é preciso experimentar a vida sem medo de a (ar)riscar! quando acabarmos, cada risco será uma história, e poderemos dizer que a nossa vida, apesar de gasta, tem mais do que aquilo com que começámos.


Até logo

P.S. percebam isto e vejam lá se agora entendem o poema de baixo LOL (alguém?)

5 comentários:

Marta disse...

Sim mestre! :P
(isto parece-me tão familiar..) haaha

bj*

Sandra disse...

-.- eu a pensar que já tinha percebido, mas okix.

pois é, tens razão Migueleee :)

beijinho

Lu disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Não poderia concordar mais contigo! lol

Não sei porque dizes que dás um sentido à frase totalmente diferente, porque quando a leio é exactamente isso que ela me transmite e acho que a beleza dela é na interpretação pura e no sentido que tem em si mesma ..é abrir mão das coisas e experimentar a vida sem medo de a (ar)riscar :)

Gostei imenso da analogia que fizeste com a areia.

E não há melhor sensação no mundo do que sentir que estamos a viver o momento com a intensidade e ternura que ele merece.

Parabéns pela forma extraordinária de te exprimires através das palavras..Continuações de longos anos de reinado :P *

O melhor (ou pior) é que quando aprendemos a abdicar e a sermos reis de nós mesmos não queremos outra coisa hehehe

Beijos *
Sonhos cor de amora com mirtillos lolol

Cleópatra

Lu disse...

Blindly I imagined I could keep you on the glass
Now I understand to hold I must open up my hands and watch you rise.'

Ah poisé :)*